sexta-feira, 31 de julho de 2015

A Transmutação e o Renascimento de um Iniciado



Muitos dos bruxos e irmãos iniciados saberão refletir no que irei escrever, mas principalmente esse escrito é para quem busca iniciação em bruxaria ou em alguma irmandade, fé, ordem mágica ou religião de mistérios.

Se você tem cérebro, então saberá usá-lo.

Uma transmutação é uma profunda mudança ou ainda, uma modificação do estado original. A partir de acumulações ou desacumulações e ocorre de dentro para fora. É uma metamorfose espiritual, uma transformação interna. Bem, os dicionários estão cheios de sinônimos e definições.

Todo bruxo ou bruxa passa por transformações, desde que toma contato com a filosofia bruxa, seus ensinamentos, ethos, modo, conduta de vida, e eu preciso lembrar aqui que a palavra bruxa significa tanto no feminino como no masculino “bruxo” a mesma coisa, senão vejamos:

BRUXO, BRUXA, SÁBIO, SÁBIA, CONJURADOR – CUNNING MAN, CUNNING WOMAN, WISE MAN, WISE WOMAN, WITCH, WIZARD, WICCA, STREGA, CONJUROR

De acordo com os dicionários brasileiros, uma Bruxa ou Bruxo é uma pessoa que faz“feitiçaria”. Esta palavra viria do espanhol BrujoBruja e faria referência a um tipo específico de mariposa. Mas…, de acordo com The Concise Dictionary of English Etymology, de Walter W. Skeat, Witch = do Inglês Witch – Pré-Shakespeare, wicche, ambos masculino e feminino; a wizarda witch; Anglo-saxão: wicce. Aqui wicce é feminino de wicca; e wiccaé uma corrupção da palavra witega, que significa profeta, vidente, também mago, feiticeiro. Ainda na forma Anglo-saxã, wítan = ver, aliado com witan, saber. Similarmente com o termo da Islândia vitki, mago, sagaz, que vem de vita, saber. Os termos Cunning man/womanWise man/woman são termos mais usados na Bruxaria Tradicional do que na Wicca, e significam genericamente “sábios”. Strega é o termo designado para bruxas na língua italiana, e sua origem vem de strix e strie, referências à pássaros de hábitos noturnos. Wizard, termo medieval francês, significa “sábio” (wise man).

Sendo assim, concordamos aqui que a palavra bruxo ou bruxa, significa sábio/sábia.

Isso não quer dizer que somos um compêndio de todos os filósofos e todas as sabedorias do mundo. Apenas significa que sabemos “mover as nuvens do céu”, sabemos a arte dos antigos, as vezes uma única tradição, as vezes mais de uma, como eternos alunos, sabemos que nada sabemos e estamos em eterna transformação, estudos e aprendizado. 

Nos apoiamos nas verdades eternas, alguns se apoiam nas filosofias perenes, ou em seus autores, outros mais tradicionais se apoiam nos ensinamentos transmitidos de forma oral em um determinado aprendizado numa tradição de mistérios ou tradição iniciática.

Após 21 anos que se passaram desde a minha primeira iniciação, a qual foi somada a outras que vieram depois e só acrescentaram e contribuíram para melhorar o meu eu, pude comparar as grandes mudanças reais que sofri ao longo dessa jornada que parece não ter fim.

Nossos deuses sabem o que ocorre conosco, sabem nos posicionar no mundo, nos leva a caminhos tortuosos e por caminhos retos, nos dão a chance de aprender sempre mais, nos colocando ordálias para serem aprendidas e transformadas, nos testam o tempo todo, mas também nos trazem paz, harmonia e satisfação na vida.

Após algumas jornadas espirituais, decidi dar um tempo para mim em reflexão do que valeu a pena e do que não valeu, e cheguei na conclusão de que tudo valeu a pena.

Hoje, com uma paz interior, um profundo e abundante sentimento de contentação e alegria interna, sorvendo a matriz diariamente e trazendo o entendimento do imperfeito e terno mundo esotérico, dos meus erros e dos erros de meus mestres, os quais foram perfeições em sua época, um mundo que traz mais perguntas que respostas e me molda todos os dias, declinando meu ego, curvando a mim mesmo diante dessa enormidade de saberes cuja simplicidade se agiganta diante de mim.

Meus desafios cresceram para aumentar minha paciência, os dissabores cresceram para me fazer aprender os melhores sabores que devo manter em minha dieta esotérica, e as dificuldades não acabaram, elas são agora um outro nível, dificuldades nível 5, são outras charadas ou enigmas que estão para ser resolvidas e assim, meus valores mudam juntamente com a minha visão de mundo. Sabemos que nem tudo o que lemos nos livros se aplica hoje em dia em nossa vida, sendo assim, não adianta citar autores, porque o próprio autor da minha vida sou eu mesmo.


Eu fui me lapidando, vagarosamente, com alguns desafios que aceitei, e outros que não aceitei conscientemente, desde que não é impondo desafios a mim que um ser humano vai ganhar meu respeito, ensinar não é impor desafios, ensinar é transmitir o conhecimento, o resto vira desafio por si mesmo.

Hoje, eu olho mais para dentro de mim, com mais atenção e clareza, para perceber minhas sombras e meus brilhos. O mundo não é mais tão nebuloso como antes, e meu sentimento de amor próprio só aumenta a cada dia e por isso posso doar esse amor.

Eu não fiquei melhor que alguém, eu fiquei melhor do que meu eu era antes. Esse sempre foi o mais terrível de todos os desafios, não concorrer ou se equiparar com os outros e sim comigo mesmo. É por isso que os desafios não se impõe a ninguém, já que ninguém pode viver o mesmo desafio igualzinho. Não existe nada mais estúpido que criar uma irmandade para impor os mesmos desafios a todos, pois beira a loucura, senão a prisão de uma caixinha onde se exclui todo o resto do mundo.

Não é o diploma ou a quantidade de iniciações que vale para impor respeito, já que, se esse monte de iniciações não serviu para te melhorar enquanto pessoa e ser humano, então só serão um amontoado de certificados que não servem nem para limpar a bunda. Então aqui nesse ponto vejo a real diferença entre o significado de exotérico e esotérico na vida de alguém e o que esse alguém pode me transmitir de verdade quando eu humildemente pude deitar minha cabeça para contemplar a tal sabedoria que me seria transmitida.

Hoje meus dias ficaram mais coloridos, pois pude abraçar mais cores que antes, tudo foi magicamente ficando menos complicado, mais simples. Meus valores passaram por uma peneira para receber todas as gotículas que cairam da peneira sem misturar umas com as outras, elas caíram inteiras como são, se aglutinaram sem se misturar, somaram um conjunto maior sem perderem suas essências.

Fui vagarosamente desapegando do supérfluo e valorizando mais a vida simples, mudei até de nome civil, de amor, de residência própria, de carro e até de emprego. Essa mudança me trouxe melhorias que pôde se manifestar no mundo ordinário, são mudanças reais que se comprovam, não essas balelas para encher livros.

Metafisicamente são manifestações de mudanças e bilocação de estados filosóficos e alquímicos que os próprios deuses conduziram com minha permissão.

Digo “manifestações”, porque não há real incorporação, mas sim é de dentro para fora, por isso os deuses se manifestam para nos conduzir. Quando há um deus ou deuses fortes, a vontade dos outros não predomina sobre a nossa vida.
Essas mudanças me trouxeram um real comando sobre os meus instintos primitivos, sobre meu ego, de tal forma que a vaidade dos outros não me comove mais. Presto mais atenção em mim e no recado que meus deuses e orixás querem de mim ou para mim.

O ar que respeito passou ficar mais doce e perfumado devido a pureza que se encontra, a água que desce pela minha garganta dissolve realmente a sede, e ela nem precisa estar gelada, a comida passou a ter mais sabor independente se tenho ou não o que quero na geladeira. Meus sentidos, os sonhos, os desejos e até mesmo as ambições, me desapeguei de tudo ao fundir-me com o todo. Isso significa que não quero controlar, mas interagir e esse fluxo de energia sobe e desce e torna a subir novamente compondo a canção mais linda, a música da minha vida.

Eu sinto que estou vivendo melhor. A qualidade de vida não está em parar de fumar, mas sim dentro da gente. Quando se está bem por dentro, não há nada exterior que possa remover esse estado, porque tudo está dentro de nós e de lá deve vir, de lá deve se manifestar. Esse é o propósito da criação e do sagrado que me rodeia, é permeado pela fonte que habita em mim.

O respeito para comigo mesmo, me faz ser respeitado pelos outros. O carinho das crianças, o olhar dos mais velhos, os idosos e familiares, os animais e o todo sagrado que me cerca.

Não é a toa que os verdadeiros iniciados afirmam que temos a sensação de viver uma outra realidade. Isso é real.

Quando faço minhas orações, para deusa, para os deuses, para os voduns, para meus ancestrais, para os tutelares e patronos da transmissão do sangue real, sinto, vejo, ouço e recebo, a sensação é absoluta de integração e interação, é um gozo espiritual nunca antes experimentado, ou se experimentei foi em níveis menores. Não pode haver um livro com a minha vida escrita nele, meu destino está sendo criado por mim, com as palavras e gestos sublimes de poder, honra e honestidade, não há vergonha em ser honesto, sincero e humilde.

Meu porão foi limpo e a cada vez que abro as portas do porão, tenho orgulho de deixar que vejam como está lindo, limpo e leve.


Não há o porquê de ser um sacerdote se não existir isso no coração dele. É um amor que me faria dar beijos até na mais profunda escrófula para que ela se curasse.

Somos passageiros aqui na Terra, não há o porque de exigir alguma coisa de alguém, desde que o que vamos levar conosco é sempre algo leve, que não pesa durante o voo, é algo que não nos faz cair. Quando um ori está feliz, todos os outros ficam felizes.

Eu sei que há novos desafios pro meu amanhã, e eles podem ser abraçados e previstos por mim, porque não há nada melhor do que deixar o medo do amanhã se dissolver junto com a sujeira do porão.

Aqui eu deixo exposto o meu sincero pedido de perdão a quem considerar que um dia eu causei algum tipo de prejuízo consciente, e junto disso deixo uma afirmação, que diz que seu dia de amanhã sempre será melhor, sempre.

Transformar a si mesmo é a prioridade, todo o resto pode esperar.

Com gratidão, admiração, respeito, amor e humildade a todos e a tudo,

Sett 

Postar um comentário