domingo, 19 de março de 2017

Curando Antigas Feridas


Queridos leitores,
Primeiramente quero agradecer o tempo que alguns de vocês disponibilizaram para nos escrever.
Tenho recebido muitas cartas me pedindo conselhos sobre como vivenciar um bom relacionamento com seu par. As cartas são muitas e muitas são as dúvidas, os problemas enfrentados e os vários condicionamentos, padrões repetitivos.
Entre os problemas abordados estão:
Sacerdotisas com "coração peludo";
Sacerdotes que não acolhem as dores reais de seus consulentes/pacientes;
Disputas pelo poder entre bruxos(as);
Pais de santo atacando bruxos;
Pessoas querendo ser mais que os outros, humilhando seus pares;
Mestres e mestras que ensinam seus neófitos, mas não permitem que os neófitos deixem de ser neófitos, e os "escravizam" com manipulações e outras doenças psicológicas.
Em fim, são tantos os problemas e cartas que eu ficaria o dia todo, quiçá o mês inteiro para responder tudo.
Como estou numa fase "ligth" e não quero escrever muito, vou deixar aqui a dica sobre as diversas questões sobre o tema que me foi perguntado, na fé de que, quem irá vos aconselhar serão vossas próprias consciências logo após assistir o vídeo abaixo.
Ocupar-se com isso é "curar-se", não desanimem, vocês já deram o primeiro passo.
Lembrando que, quem busca o triunfo é porque não o possui, por isso precisa buscá-lo.
No vídeo abaixo encontra-se as dicas que, inclusive podem e devem ser aplicadas tanto no contexto pessoal, em relacionamentos de diversos tipos, e também nos covens. 
Em todos os vícios de comportamento há a figura que te trata como "doente", há a figura do aparente superior e do aparente inferior e o meio de controle e libertação. Em todos os casos citados nas diversas cartas havia essas figuras, mas o que faltou de fato foi o desenvolvimento pessoal e a permissão desse desenvolvimento nos outros. O que mais me chamou atenção foi a figura de um lider religioso que ensina seu neófito até os altos graus, mas quando o neófito se torna mestre naquela arte, o lider o impede do "desmame" e o escraviza ou insiste em inferiorizar a pessoa para continuar a aparente lenda do eterno drama de controle sobre as pessoas, típico do triângulo dramático de Karpman.
Contudo, quando o paciente se cura, há que se observar que "poucas ou poucos" são aqueles que permitem o seu crescimento a partir dessa cura, o qual facilitaria a igualdade inter-pares.
E aqui fica um último aviso contra a vaidade:
UMA INICIAÇÃO LEGÍTIMA TEM QUE SERVIR PRIMEIRO PARA TI, PARA O TEU CAMINHO. De nada serve se dizer iniciado e ficar brigando na internet pela disputa de poder, para se auto afirmar ou para mostrar quem tem mais poder que o outro. De nada serve enfeitiçar um irmão de arte para se vingar por alguma razão. Primeiro que, sobre "guerras" de bruxos, os dois lados saem perdendo e, por último, A ARTE BRUXA se queima por causa dessas pessoas, quais não fazem outra coisa senão falar mal da arte bruxa sem perceber, faz cair em descredito a arte que já foi tão caçada pela inquisição. De igual forma, uma verdadeira transformação te liberta e liberta a todos ao seu redor, então todos devem revisitar os propósitos pelo qual buscaram a bruxaria, pois de nada serve você posar de bom moço ou boa moça e nos bastidores você "queimar" seus irmãos bruxos(as) nos mais variados feitiços de maldição.
Nem é preciso dizer que um mestre nunca ensina tudo que sabe!!! Por essa razão nem preciso falar da lei do retorno e como ela de fato é usada por um mestre.
Com relação aos pais de santo e mães de santo que insistem em atacar as bruxas eu só tenho uma coisa a dizer:
O reino de Oyó, o império onde nasceu Xango, foi fundado em 1.400 depois de Cristo. Logo, Xangô (Sangò/Sogbo/Vodum Badé etc..) nasceu bem depois dessa data. Aliás eu preciso lembrar aqui que os Celtas invadiram a Africa e transmitiram sua cultura aos Africanos, os quais trocaram informações e conhecimentos. Ver Anatólia e Gálatas. 
Em comparação com o respeito das forças que representam a Natureza, devo dizer e informar que a Deusa da Bruxaria e seu Culto não nasceu depois de Cristo, ao contrário, Ela possui 35 mil anos de egrégora documentados na história. Por essa mesma razão os pais de santo e mães de santo deveriam respeitar bem mais o Poder das Bruxas e não se opor a Ele, desde que as bruxas não são "menos perigosas" do que qualquer correligionário do candomblé. Se você é um iniciado(a) que anda "queimando" seus irmãos de arte sábia, eu sinto muito lhe dizer, mas sua iniciação não te vestiu ainda, ou melhor dizendo: Você não iniciou o caminho ainda, não está sendo melhor que ninguém, nem melhor que si mesmo, você continua no mesmo lugar de antes da sua iniciação e deve dar um passo para trás e revisitar seus propósitos, pois ninguém oferece ao mundo aquilo que não possui. Fazer o mal toda criança sabe fazer. Um(a) iniciado(a) faz a diferença sobre ele mesmo, e as ordálias são muitas e são eternas, cada uma em um nível mais hard que a outra. Se a pequenez humana tomou conta de ti, siga o exemplo da semente, do grão que vira tronco, que vira árvore, que dá folhas, flores e frutos, que alimenta o mundo com bondade, gentileza e graça.
Eu não quero com isso criar polêmica alguma e sim, conscientizar as pessoas sobre quem verdadeiramente respeita A Força da Natureza mais antiga e preza pela ancestralidade, pois ouvimos essas mães de santo falar tanto da ancestralidade, contudo não tem demonstrado respeito algum, apenas preconceito e disputa pelo poder feiticeiro.
Queridos pais de santo, vocês são tão "bruxos" quanto qualquer um de nós, e se houver nova inquisição vocês serão queimados igualmente. Então aos que dão conta de sacar isso, sejam bem vindos ao mundo da igualdade. Aos que ainda mantem a idéia do separativismo idiota eu digo, abram a mente. Que fique claro que não me refiro a todos, pois existem as exceções e muita gente humilde, honesta e que faz funcionar sua iniciação pra ti mesmo, como tem em qq lugar.
Em fim, bruxaria acima de tudo se ocupa com transformações, não com domínio. O domínio está nas mentes fracas que necessitam provar alguma coisa pra alguém, inclusive pra si mesmos. Nós bruxos nos ocupamos em nos transformar por dentro, oferecer mais, brotar e lapidar virtudes, fazer uma verdadeira alquimia, aprender com os erros e sermos melhores que nós mesmos todos os dias, para oferecer isso ao mundo que nos procura para pedir uma benção. 
Bom, não preciso de palavras para maiores esclarecimentos, o vídeo revela por si.
Bençãos a todos.
Sett


Postar um comentário