domingo, 22 de outubro de 2017

O Altar da Strega


Altar da Tradição Familiar Lupino

O altar é o microcosmo da bruxa.
Ele é o catalizador do sagrado. 
Para o altar convergem todos os gestos litúrgicos, todas as linhas arquitetônicas.
Todas as construções são realizadas no altar, em nível astral, espiritual, físico e, espera-se enviar as energias da petição da bruxa para Aster, o reino onde se realiza o poder de Elphame a partir da Terra.

Altar della Strega
Altar da Bruxa: Tradição Familiar Lupino


O Altar reproduz em miniatura o conjunto do templo e do universo.
Ele é o recinto onde o sagrado se condensa com o máximo de intensidade.
É sobre o altar ou no pé do altar, que se realiza o sacrifício (o que torna sagrado/ sacro-ofício);
Ele contém e manifesta a divindade e, para ele se oferta flores, frutas, incenso, vinho, mel, leite, sangue bem como outras oferendas tradicionais e ele se torna poderoso. A egrégora também é alimentada no altar. 
Por isso ele é mais elevado (altum) em relação a tudo que o rodeia.
O altar reúne em si igualmente a simbólica do centro do mundo, é o centro ativo da espiral que sugere a espiritualização progressiva do universo.

O altar simboliza o recinto e o instante em que um ser se torna sagrado, onde se realiza uma operação sagrada, onde matéria e espírito se conectam sem véus.
A ele, todas as preces fervorosas são dirigidas. 
Hécuba arrastou o rei perto do fogo dizendo:
“As tuas armas não podem te ajudar agora, mas este altar sim”.


Postar um comentário