quinta-feira, 29 de março de 2018

Como Eliminar a Mágoa - Através o Trabalho de Ego




É possível não se magoar com nada através do trabalho de ego?

Sim.

Se muito bem feito o trabalho for, o resultado é excelente.

Márcio José Ferreira
O que vou lhe revelar aqui é um dos segredos dos bruxos, sobre o trabalho de ego a partir daquilo que se encontra em sua sombra.

Muitas são as bruxas que se acham poderosas, mas quando o assunto é possuir poder sobre si mesmo o assunto muda.

Infelizmente o que vemos por ai é um quadro alarmante, contendo brigas de egos e disputas pelo poder sobre o outro. Mas não é para isso que existem bruxas no mundo e, esse quadro alarmante não torna o mundo melhor.

Na maioria das vezes esse quadro alarmante citado acima é disparado em decorrência de uma magoa, seja por não ter sido ouvido, seja por querer controlar o outro, seja por disputas de poder, em fim... Sempre tem haver com um vício de caráter que pode ser lapidado e transformado em virtude, mas por preguiça ou relapso o iniciado deixou de por em prática os segredos iniciáticos. A magoa é a prima pobre da raiva. Esses estados emocionais são defesas de uma alma insegura e traumatizada e isso revela fraqueza, não poder.

A energia da raiva pode se tornar um poder se bem conduzida for, um vez que, a raiva é um trampolim para fugir do estado depressivo. Os iniciados sabem guardar a energia da raiva dentro de uma vela preta para usar em benefício de sua prosperidade ao invés de investir na destruição da vida humana.

Não é a toa que as grandes ordens mágicas se destruíram no passado devido a isso, vide os fatos da Golden Down e outras que, por motivos mesquinhos ou vícios de caráter se comportaram de forma autodestrutiva.

Inteligente todo mundo é, então, o que você está esperando para aplicar os poderes da sua iniciação em você mesmo? A raiva nunca tem haver com o outro, e sim com você mesmo e um aspecto seu mal resolvido dentro de si e, ai mora a questão da sombras. É comum durante um tipo de choque, passarmos pelos estados de ódio, raiva, furor, mágoa, tristeza, depressão e raiva novamente, porque são defesas naturais da nossa psique contra a comiseração da vida humana. Isso tudo bem conduzido pode se tornar o maior poder já usado em seu benefício sem precisar tirar vantagem de alguém.

É bem comum ouvirmos sobre quando uma magia foi bem executada e obtiveram resultados fantásticos, todos nós gostamos de ouvir isso. Mas o grande segredo é que nem sempre isso acontece com a maioria das bruxas porque a magia não é uma ciência exata e, dessa forma algumas magias acabam sendo revisadas em sua própria técnica, fórmula, receitas, prescrição, aspectos astrológicos, elementos como ervas, desenhos, símbolos, encantamentos rimados, invocações, conjurações, alfabetos, rituais, chakras alinhados, boa alimentação, bom sono, mente descansada, dias e horas planetárias, alimentação da egrégora de sua linhagem com sacrifícios, danças circulares, visualização, a condução do poder catalisado, canalizado e enviado, etc. Quase tudo é revisado para mudar o resultado em seu favor.

Contudo, quase ninguém menciona que a magia mora dentro de cada um e é com isso que seu feitiço ganha força e isso tem muito haver com seu estado de espírito. Logo, a bruxa é poderosa quando ela obtém domínio sobre ela mesma, não sobre os outros, aliás, até para dominar os outros a bruxa tem que ter dominado a si própria antes, haja vista que ninguém dá o que não tem.

O fato é que quando você domina a si mesmo, ninguém de fora precisará te dominar porque você não irá atrair isso pra sua vida. Essa receita é a mais antiga forma de fazer desaparecer u um opositor ou uma situação de oposição, haja vista que seu pior opositor e você mesmo.

As águas formam em si o elemento do sentimento. Nesse sentido temos como único sentimento o Amor, o resto são emoções, assim ensina a escola oriental de magia tradicional.

Para tal, a bruxa pode sempre manter suas águas limpas e dessa forma ela carregará de poder a intenção que irá depositar sobre um feitiço, desde que um feitiço é uma linguagem por onde ela manda dizer aos deuses o que ela quer que aconteça no futuro. Lembrando que feitiço vem do latim Facturus e significa “ação sobre o futuro”.

Desde cedo a bruxa aprende no “prezinho” da magia que seu mundo interno interfere nos resultados mágicos ao seu redor, sendo assim, o mundo das águas, é nele que mora a vaidade e a intenção. Mas a vaidade é quando o ego toca nas águas, enquanto que a intenção é quando o espírito toca nas águas. É por isso que qualquer autoridade espiritual pode carregar de poder a intenção e dispará-la somente com o pensamento. Isso também é um feitiço e, até um padre faz.

De igual forma uma mãe de santo quando deita os búzios pode ou não carregar de poder a intenção e induzir o resultado no destino do consulente. Isso é um feitiço. Aliás, um ebó também é um feitiço, desde que o feitiço começa na intenção.

André Ricardo Ramos da Silva
O feitiço não funciona direito quando ele está tocado pela vaidade. 
É magia proibida quando o feitiço está tocado ou é movido pela força dos vícios de caráter.

Gente, a fórmula é simples: Espírito tem mais poder do que a matéria, não é a toa que todo mundo reza no altar pedindo para algum Espírito um favor que a matéria não pode dar.

Daí vem a necessidade da supremacia do Espírito sobre a Matéria, isso significa pensar com o Espírito (divino) e deixar Ele agir através de você. Esse é o verdadeiro estado alterado de consciência.

A vaidade é um vício do ego, compreendida muitas vezes como uma qualidade do que é vão, vazio, firmado sobre aparência ilusória, podendo ou não estar ligada a própria aparência ou aquilo que se pensa sobre si mesmo, ou ainda sobre quaisquer outras qualidades físicas ou intelectuais, fundamentada no desejo de que tais qualidades sejam “reconhecidas” ou admiradas pelos outros. E aqui entra a questão da “busca da aprovação” e, junto com isso vem a mágoa quando não se obtém o resultado esperado entre as relações interpessoais.

Mas será que Espírito sente dor e mágoa? Óbvio que não. Pelo menos nem todos. Se você tomar ayahuasca e vivenciar uma experiência de morte e renascimento durante o transe, você saberá que pra morrer não dói. Então espírito não sente dor. A dor é consequência da vida, de estar vivo, não morto. Espíritos desencarnados que afirmam sentir dor, estão na verdade presos num padrão da própria psique doente e isso começou quando ele ainda estava vivo. Entenda isso duma vez por todas e se liberte da dor desde já.

Então é aquilo que eu digo sempre, a supremacia do Espírito sobre a Matéria é e sempre foi a equação mais fiel do controle ou domínio sobre si mesmo.

- NÃO PENSE COM O EGO, PENSE COM O ESPÍRITO. Essa é uma frase muito usada nas bruxarias de orientação pagã.

- É IMPOSSÍVEL VOCÊ PECAR CONTRA DEUS, ELE É INFINITAMENTE GRANDE. Essa é uma frase usada nas bruxarias de orientação cristã.

De qualquer forma, em ambos os casos “O Espírito” está presente. Aqui me refiro ao seu Espírito divino, o ser supremo, o ser interior e mais elevado, chame-o como quiser. Quem despertou a kundalini sabe o que estou dizendo.
Esse trabalho quando é bem feito e sem reservas mentais ou espirituais de qualquer natureza produz excelentes resultados, pois se torna impossível magoar alguém ou impossível você ser magoado por alguém, desde que você não vai atrair isso. Agora é uma boa hora para também olhar onde você tem Venus no seu mapa natal e quais os aspectos negativos que envolvem esse planeta Venus. Sabemos que muitas pessoas com padrões comportamentais ligados a emoção do sadomasoquismo possuem um planeta Venus mal aspectado no mapa de forma a tornar a pessoa uma vitimazinha junto com a vontade de ser masoquista ou maleficazinha com a vontade dominante do sádico.

A cereja do bolo é que Todo mundo sabe que um arranhão feito todos os dias no mesmo lugar vai abrir uma ferida difícil de cicatrizar. Nesse caso, eliminar as ofensas e os ofendidos é a melhor forma de liquidar com o esquema mental da culpa e culpabilidade que os humanos gostam de carregar.

Bruxas trabalham com o esquema da responsabilidade = habilidade de criar respostas, de preferência as respostas perenes. Respostas para as dores da alma, curando assim traumas e feridas internas que foram admitidas por um “eu” fragilizado, seja na infância ou não. Muitos adultos passam por situações de alta pressão e estresse na vida corrida e não sabem lidar com isso. Se durante essa situação de estresse haver alguém batendo contra você através de feitiços, provavelmente você acabará num hospital psiquiátrico ou no mínimo, na cama em depressão profunda. Esse é um local difícil de sair. É difícil de voltar desse lugar, mas calma, isso tem jeito.

É verdade que precisamos do ego para existir, mas também precisamos dominar o ego para não sentirmos nenhum tipo de sofrimento ou agonia. Algumas escolas esotéricas gnósticas do passado ensinavam a matar o ego, porém o ego nunca pode morrer de verdade, mas sim ele deve ser dominado/controlado pelo próprio dono de maneira madura e livre dos grilhões da sociedade. Isso tudo tem haver com a imagem que você cria de si mesmo na sua mente e isso se soma a suas crenças limitantes.

Para isso é necessário um trabalho de autoconhecimento com o pacote completo do trabalho de ego, o trabalho com as sombras e o trabalho com as virtudes. Se bem executado o sucesso é garantido. Esses são os trabalhos de transformação e desenvolvimento interno que uma bruxa faz e isso é para a vida inteira, desde que a fronteira para a vaidade é muito fina e jamais uma bruxa deve se esquecer de fazer esses trabalhos consigo mesma.

Paulo Henrique Alvarenga de Oliveira
Esse trabalho desenvolve o “eu” superior, desperta o “eu” espiritual e divino, impede que você caia no vitimismo, na fragilidade, na fraqueza de espírito e lhe dá poder sobre si mesmo de forma que você possa lapidar-se por dentro logo que reconheça seus vícios de caráter, pois remove o senso de auto importância e junto com isso você deixa de se importar (trazer para dentro) com situações desnecessárias, evitando brigas ou confusões, dando suporte para dosar melhor a empatia que tanto puxa para dentro aquilo que está fora de você. Esses trabalhos dirigem seu foco para que você possa desapaixonar-se de uma situação ao seu bel prazer ou de acordo com a sua vontade. Lembrando que paixão é uma palavra que vem do latim “passio” e significa dor/sofrimento. Ter um botão de liga-desliga para despaixonar-se quando quiser parece um bom empoderamento.

Esses trabalhos não lhe fornecem só isso, mas como o artigo é sobre ter o controle do sentimento/emoções, vale a pena recordar que quando os textos romanis falam que Santa Sara andou sobre as águas e não afundou, equivale a estar por cima das águas (sentimento/emoções) sem se perder ou sem ser afogado pelo descontrole emocional.

Ioshuà Chrestos também andou sobre as águas. Em ambos os casos eles tiveram controle sobre o seu próprio elemento água, porque detinham domínio sobre o próprio ego. Para comandar os 4 elementos é necessário dominar o ego em primeiro lugar.

Além do trabalho de ego e de sombra, temos os 12 trabalhos de Lupercus os quais fazem recair sobre nós virtudes de conscientização de raiz a qual utiliza magia mimética para exercer mais lapidação da pedra bruta interna. Você é aquilo que você sente e atrai. Todos que já fizeram os 12 trabalhos sabem que com ele só se pode prosperar. Alguns obtiveram resultados positivos onde só havia negatividade, outros abriram marmitarias e foram prósperos, outros ainda tiveram aumento de salário e promoção em todos os setores da vida. Amor, dinheiro, sexo, boa sorte, caminhos abertos, relacionamentos com proveito e bem estar, é um verdadeiro empoderamento. Aqueles que se esqueceram desses ensinamentos voltaram a estaca zero. Mas calma, sempre é tempo de recomeçar os 12 trabalhos.

Se você for capaz de nunca mais se magoar você será forçado a enxergar o lado positivo de cada situação e vivera melhor e com mais poder sobre o que lhe acontece. É assim que você se torna autor de sua própria vida e destino. Isso é a Supremacia do Espírito sobre a Matéria, e isso é segredo de iniciados e, é também o que diz a lei da atração desde tempos remotos.

Como prega a tábua de esmeralda: “Tudo o que está em cima, também está em baixo”.

É você no controle!

A maioria das pessoas acham que é normal se magoar nas relações e que não tem como se relacionar com alguém sem que em algum momento fiquemos ofendidos ou magoados, e com isso colocamos nosso bem estar no poder do outro, mas aqui entre nós, ninguém é poderoso quando não sente bem estar.

Lembrando o significado das terminologias pela etimologia da palavra:

Abel: Vaidade/frágil/efêmero/ostentação/desejo exagerado de atrair admiração ou homenagens dos outros/fugaz/fútil.

Qaiyn: Lança/obter/provocar/produzir/agricultor/assassino (da vaidade).

Remus: Rumo/Movimento/Entrega/Morte/Espírito.

Rômulo: Força/Dominante/Construtor/Vida/Matéria.

São irmãos. Essas energias são gêmeas, uma não existe sem a outra, igual Deus e Diabo ou Ego e Sombra. Então tem que ser bem dirigida, bem trabalhada e bem compreendida. É nisso que mora o verdadeiro poder.

Todos nós temos um ponto sensível? Sim, todos nós temos Quiron no mapa natal. Fica a dica né Hércules!

Mas o que significa ser ofendido?

É quando a pessoa vai direto ao nosso ponto sensível, aonde não gostamos que seja tocado. A parte ofendida é aquela que tentamos negar de nossa própria percepção. O que fica ofendido em nós? É a parte que criamos de nós mesmos. É como se criássemos uma replica do nosso “eu” piorado ou defeituoso, e toda vez que somos magoados ficamos tentando se convencer que não somos aquilo (que absurdo fulano falar assim de mim!!). Nesse momento estamos falando com a própria imagem que criamos, a pessoa que nos ofendeu só estimulou esse ponto, ela só foi o gatilho, mas ela não está na equação de fato. Nesse momento ela já saiu da cena. São duas imagens suas brigando entre si, uma boazinha e a outra indignadazinha. Tipo: “nossa, quanta coisa boa eu já fiz, sou tão legal com ela e só levo patada!”

O senso de “injustiça” e de auto importância grita mais alto. Então ATENÇÃO, pois nesse momento você está construindo o seu EGO!

Sinal vermelho quando você começar a se vangloriar de todas as coisas boas que você já fez. E o ego o que é? É justamente essa defesa que criamos justamente para não entrar em contato com nosso mundo interno. Ou seja, o seu “eu” superior está debilitado, logo, não tem supremacia do Espírito sobre a Matéria. Carece fazer o caminho oposto e matar Abel (a sua vaidade) e dominar seu ego para ter força sobre seus atos e o rumo da sua vida.

Não importa o quanto você é bom ou já tenha feito coisas boas. Isso só serve para que você se sinta mais magoado. Parafraseando o esoterismo: água suja não lava prato! Mantenha suas águas limpas. É o que está dentro do seu peito. Muitas pessoas vão parar nas salas de emergências dos hospitais referindo estar com dor no peito ou precordialgia, quando na verdade é algo mal resolvido lá atrás que piorou com o tempo por não ter sido observado e curado em tempo. Os problemas cardíacos legítimos são causados por uma bactéria que dá na raiz dos dentes, não pelo ego, mas os sintomas são muito parecidos. Em ambos os casos devem ser observados e tratados cada qual com suas especificidades e urgências.

Numa discussão, ambas as partes se magoam desde que a mágoa é reflexo empático da emoção de auto importância quando é ofendida. O mesmo ocorre quando uma pessoa muito empática se aproxima de alguém que está chorando muito, ambas choram por igual. De igual forma acontece quando se aproxima de alguém que está rindo, ambas riem. Emoções são reflexos sentidos por empatia. Emoções não são sentimento. A emoção mora em maya (no plano da ilusão) o sentimento mora no coração da alma.

josé rafael beordo

A mágoa é uma tradução impensada da magia mimética (um espelho ou reflexo) onde um imita o outro no drama. Quando você sai da questão o drama fechando a empatia você força a outra parte imitar você e ambos ficam bem. É aonde você pode se centrar e dar bons conselhos, a sabedoria flui.

Só existe um jeito de duas pessoas se entenderem e isso é através do diálogo. Quando uma das partes envolvidas se nega a conversar sobre tal coisa ela está sendo infantil. É por isso que os psiquiatras não passam fome e seus consultórios estão cheios. Seres humanos adoram um drama, adoram tanto que chega beirar como se o drama fosse um deus a ser venerado.

Se nessa hora você puxar o outro com você para a realidade, você estará sendo paciente e sábio, e estará no controle de si mesmo, estará fazendo a cura verdadeira para ambos os lados.

Então para que você nunca se ofenda é simples: destrua todas as imagens que você criou de si mesmo. Elas são falsas, pois você não é nada disso. Essas imagens são criações feitas no reino de maya = a ilusão.

Nesse momento você vai se recolher e perceber quais as imagens que você criou de si mesmo, se de coitadinho, se de que ninguém te vê, ou ninguém de ouve, em fim, a imagem do seu ego e vai destruir essas imagens na sua tela mental e dentro de si mesmo. O inimigo perigoso de qualquer relacionamento é a mesmice do ego.

Você vai agora olhar para sua vida e responder com sinceridade para si mesmo se sua vida é uma bosta ou não, vai enxergar tudo o que deixou de fazer de forma correta (sem ego) e vai movimentar sua vida a partir disso. Em seguida você será honesto consigo mesmo sem ser auto condescendente consigo mesmo e vai consertar seus erros fazendo o que precisa ser feito. O seu Poder verdadeiro agradece! Isso é transformação de fato!
A subtração é ilusória, é Maya, pois até a morte não subtrai da vida além do suficiente para poder existir a reencarnação. Não é a toa que existe o ditado Strega: Somar sempre, subtrair nunca!

Dentro de uma perspectiva perene, não existe espaço para a ilusão, além da própria função de Maya, ou seja, fazer enxergar a realidade! Se existe algo a ser subtraído da equação, esse algo se chama ilusão.

Agir sem ego é sair de si mesmo para fazer algo de útil pelo outro sem julgar nem punir, porque cada um dá somente aquilo que tem. Se você foi enfeitiçado e agiu errado com pessoas que você gostava devido o feitiço ter tido efeito sobre você, agora é a hora de corrigir isso e reaver o poder sobre si mesmo e sobre a sua vida!

Conheça a ti mesmo.

Então você estará cônscio de si. Nisso reside o empoderamento iniciático!
Possa Caputspher lhe dar uma boa cabeça!

Artigo de autoria do Sett
Magister do Canídea Covine de Ribeirão Preto/SP.







Postar um comentário